Meu carrinho
Carrinho Vazio
16/10/2023

O anel que tu me destes era vidro e se quebrou

Se você passar alguns minutinhos fuçando o Instagram, vai ver inúmeros perfis de pessoas incríveis fazendo jóias maravilhosas com uma garrafa de cerveja. É um tal de lixa daqui, corta dali, lapida acolá…e voilà, uma [fake] esmeralda verdinha, solitária, brilhando num anel.

Entre pedras preciosas, naturais e brutas, cristais e gemas, você saberia distinguir o que é real do que é faz de conta? Pra não cair no conto do vigário, vamos explicar aqui a distinção entre o que é natural, sintético e artificial.

Pedras naturais

As pedras naturais são exatamente o que o nome sugere: gemas que ocorrem naturalmente, sem qualquer intervenção humana significativa no processo de formação.

Essas gemas são o resultado de milhões de anos de processos geológicos, como a cristalização de minerais no interior da Terra. Alguns exemplos notáveis de pedras naturais incluem o diamante, a esmeralda, o rubi, a safira e o quartzo.

Elas são extraídas de minas em várias partes do mundo e, podem ser usadas de forma bruta (como amuletos, decoração de casa, joalheria) ou passam por um processo de lapidação para realçar a sua beleza.

E por falar em beleza, no caso das pedras naturais, a principal característica é a sua autenticidade. Ela reside na singularidade de cada gema, que possui cores, manchas e formas únicas.

A autenticidade das pedras naturais é um fator determinante do seu valor. Gemas naturais raras, como o diamante rosa ou o alexandrite, podem alcançar preços astronômicos no mercado devido à sua raridade e beleza natural. Além disso, a longa história e o fascínio cultural em torno de pedras naturais aumentam o seu valor intrínseco.

Pedras sintéticas

Também conhecidas como gemas de laboratório ou gemas sintéticas, são produzidas artificialmente em ambientes controlados. Elas são criadas usando os mesmos materiais que as pedras naturais, mas sob condições específicas para acelerar o processo de formação. Diamantes, rubis, safiras e muitas outras gemas podem ser manipulados.

As pedras sintéticas têm ganhado popularidade nas últimas décadas, graças aos avanços tecnológicos que tornaram possível a produção de gemas de alta qualidade em laboratórios. As principais razões para a criação de pedras sintéticas incluem a redução de custos, a preservação do meio ambiente e a satisfação da crescente demanda por gemas.

Embora as pedras sintéticas sejam criadas em laboratório, elas têm propriedades químicas e físicas idênticas às das pedras naturais. Isso significa que, para a maioria das pessoas, é extremamente difícil distinguir entre uma pedra sintética e uma pedra natural apenas olhando para elas. No entanto, existem testes e equipamentos disponíveis que podem identificar a diferença, como espectroscopia e análise de inclusões.

Cristais artificiais

Os cristais artificiais, por outro lado, são muito diferentes das pedras naturais e sintéticas. Eles são criados com a intenção de imitar a aparência das gemas, mas não possuem as mesmas propriedades químicas e físicas.

Um bom exemplo de cristal artificial são as zircônias - você deve reconhecê-los em marcas tipo Swarovsky. As zircônias, apesar de não serem naturais, apresentam uma notável dureza e brilho, o que as torna eficazes substitutas do diamante, especialmente em semijoias.

Atualmente, as zircônias são amplamente empregadas até mesmo em joias de ouro maciço, onde são meticulosamente cravadas nas peças, seguindo procedimentos semelhantes aos usados para diamantes. Elas oferecem durabilidade e brilho suficientes para serem de alta qualidade

Já nas bijuterias de baixo custo, podemos encontrar o strass, uma pedra artificial confeccionada a partir de vidro ou acrílico, revestida com uma camada metálica para intensificar seu brilho

É importante destacar que os cristais artificiais não têm o mesmo valor que as pedras naturais e sintéticas, mas não significa que não tenham o seu próprio apelo estético e valor decorativo.

Como fazer a distinção?

Distinguir entre pedras naturais, sintéticas e cristais artificiais pode ser um desafio, especialmente para pessoas sem treinamento em gemologia. Aqui estão algumas dicas que podem ajudar:

1. Consulte um especialista

Se você tem uma gema e deseja determinar sua autenticidade, a melhor opção é consultar um gemologista certificado. Esses profissionais têm o conhecimento e as ferramentas necessárias para realizar testes precisos e identificar a natureza da gema.

2. Examine a gema

Uma observação cuidadosa da gema pode revelar pistas sobre a sua autenticidade. Procure inclusões naturais, que são pequenas imperfeições encontradas em gemas naturais, e aspetos como brilho, transparência e cor. No entanto, lembre-se de que algumas pedras sintéticas podem imitar essas características.

3. Realize testes físicos

Alguns testes físicos simples podem ajudar a determinar se uma gema é natural, sintética ou um cristal artificial. Por exemplo, a dureza é uma característica importante. O diamante, a substância natural mais dura conhecida, pode riscar vidro, enquanto a maioria das gemas sintéticas e cristais artificiais não consegue.

A distinção entre pedras naturais, sintéticas e cristais artificiais pode ser desafiadora, mas é fundamental para avaliar a autenticidade e o valor das gemas que você possui ou planeja adquirir.

Aqui na Zâmbia Brand nós usamos as pedras naturais em sua forma bruta para dar mais valor, autenticidade e beleza à sua semijoia e acreditamos que elas também nos transmitem bem-estar, afinal, são tesouros da natureza, com características únicas que as tornam preciosas.